Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

TUDO AVULSO

Acontece-me... Por inspiração... transpiração... ou porque me apetece...

TUDO AVULSO

Acontece-me... Por inspiração... transpiração... ou porque me apetece...

14
Out18

Manias- para sorrir

Mariali

Tenho uma amiga que, quando viaja para outro país, nunca actualiza as horas do relógio ou do telemóvel... Então, por sua iniciativa, ou se lhe perguntarmos, gosta de dar as horas de cá e as do local onde nos encontramos.

 

Ora, na mais recente viagem, o nosso grupo teve mais uma pessoa que, por acaso, era açoriana. Então, em uma dessas ocasiões que ela deu horas, eu alertei-a para que ela passasse também a dar as horas dos Açores. Assim, a informação seria mais completa. Risos.

 

 

08
Out18

Aconselho a visita- Frida Kahlo

Mariali

Antes que a exposição partisse para outra cidade, lá fomos à cidade do Porto, eu e uma amiga. Valeu a pena. Também gostei da arquitetura do edifício Centro Português de Fotografia, não conhecia ao "vivo". E a exposição nesse espaço só beneficiou. Muita história. Amores e desamores...

 

Por uns instantes, ainda me identifiquei um "bocadichinho" com Frida, a fotografia, a pintura, a lua. Coisas que eu gosto... Mas depressa caí na realidade. Não... ;)

 

"Fotografias que refletem a intimidade e os interesses da pintora ao longo da sua vida atribulada: a família, o fascínio por Diego Rivera, seu marido, os múltiplos amores, os amigos e alguns inimigos, o corpo acidentado e a ciência médica, a luta política e a arte, os índios e o passado pré-hispânico, e a paixão pelo México e pelo seu povo".

 

*Frida Kahlo, as suas fotografias.

Centro Português de Fotografia

Antiga Cadeia e Tribunal da Relação do Porto

Largo Amor de Perdição

43119638_1878162825602693_7979013298446139392_n.jp

43086347_1901947990108300_6519644816412770304_n.jp

43070590_1878256885593287_9041509424891428864_n.jp

43169833_1878164852269157_8731616466354307072_n.jp

43082419_1878166145602361_7549341578993598464_n.jp

43174292_1878166375602338_9107923603701104640_n.jp

 

 

 

 

 

04
Out18

Em Outubro sê prudente (qb)

Mariali

No campo, por vezes, acontece um misto de tudo o que nos faz bem.

Beleza, envolvimento, prazer, satisfação. Não estivesse o campo mais ligado à vida, à realidade e simplicidade das coisas...

O céu como abrigo, noite e dia, cintilante e silencioso.

Mas desengane-se quem pensa que é só relaxar. Há sempre muito trabalho a fazer e a organizar. 

 

Lá diz o ditado, em Outubro sê prudente: guarda pão, guarda semente.

 

No nosso tempo, a oferta de mercado é tanta que já não necessitamos de ser assim tão prudentes. Por uma questão de economia e não gostando de desperdiçar aqueles produtos que têm menor durabilidade, dediquei-me a fazer compotas, concentrado de tomate e alguns congelados.

O resto está sendo guardado, naturalmente, de modo a conservar o máximo de tempo para ir sendo utilizado até às próximas colheitas...

 

Também é delicioso sentir estes sabores do campo pairarem pela cidade.

Devido ao post da Samantha, quero acrescentar. Principalmente, na época da colheita, que vai sendo quase todo o ano, depende do que é próprio de cada estação, distribuímos alguns produtos alimentares por várias famílias cá da cidade. Famílias não referenciadas, nossos vizinhos e até amigos. Devido à crise de emprego, os filhos voltaram a casa dos pais, alguns já casados e também eles com filhos...

Na aldeia, desconhecemos essa necessidade, as pessoas convivem mais de perto e entreajudam-se. São costumes e tradições de louvar. 

 

 

 *alguns registos do meu arquivo ;)

1377498_508672922551697_1074266662_n.jpg

21766428_1456183927800587_7677731920184099287_n.jp

DSCN1644.JPG

DSCN1654.JPG

 

 

27
Set18

Hoje e amanhã, tanto a acontecer

Mariali

A preparar o coração para hoje. 

Atarantado, sim,

por não ordenar prioridades.

Há os que vivem e os que já morreram.

Há os doentes.

Há o 1º. aniversário da morte... 

De mansinho,

logo, tudo ganhou ordem,

porque surge mais uma partida.

A minha comadre.

Madrinha da minha filha mais velha.

e eu madrinha de sua filha.

Minha parceira de risadas, passeios, profissão.

Amizade.

 

Agora, é tua a prioridade. 

Visitarei os doentes,

meditarei pelo 1º. aniversário 

mas acompanhar-te-ei até onde me for possível.

Hoje e amanhã,

tanto a acontecer.

Ganhar, perder, celebrar, visitar.

Vencer.

 

 

 

 

25
Set18

As palavras também são como as cerejas

Mariali

Nada de importante. Nada que apeteça e valha a pena partilhar. A escrita das palavras fica tão vazia!!!...

O mês de Setembro quase a terminar, vagaroso... E eu continuo igual a ele, ao Setembro, lenta, e, também, ocupada, receosa...

Já é Outono, e de novo sinto esperança... A tal que eu não gosto nada de sentir. Não é culpa do Outono, mas da vontade que tenho em que tudo se resolva por bem... Tento apoiar do jeito que sei e posso. Ajuda-me a repensar a vida e as fragilidades próprias de cada um. Mas cada pessoa tem a responsabilidade de se cuidar para que não sobre sofrimento para os outros.

Só temos uma vida. Acredito. E há que aproveitar. Coisas boas e más, quem as não tem? Pois... Até reinventámo-las.

 

A minha filha mais velha está por cá. Anda stressada pelo corropio de visitas e afins de que somos constantemente invadidos ou requisitados. Quase sempre do meu lado familiar.

Sempre diziam tão bem dos elementos da minha árvore, mas começaram a mudar de opinião. Que somos uns mimalhinhos, comparados com a família do lado do pai.

Eu sei que não é verdade. Somos mais intensos, mais humorados e somos mais!... Só isso.

Andando eu alerta, devido a certos acontecimentos, há pouco tempo, passou-se o seguinte: o meu telefone tocou três noites seguidas, a horas pouco convenientes. De todas as vezes foi engano.  A 1ª. vez, fiquei super aflita. A 2ª., agradeci por ser engano, a 3ª., idem... idem... 

Logo, a culpa foi toda minha... Porque andava tão preocupada e ansiosa que até atraí todos esses telefonemas... Segundo elas (as filhas).

 

Citando Saramago:

"As palavras são boas. As palavras são más. As palavras ofendem.  As palavras pedem desculpa. As palavras queimam. As palavras acariciam..."

    ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ...... ... ... ... ... 

 

E eu acrescento: as palavras também são como as cerejas.

 

03
Set18

Setembro é tempo...

Mariali

Outro Setembro voltou.

Pela terceira vez, e eu sem conseguir

silenciar, naturalmente.

Quem dera possuir essa capacidade...

Tento.

Mas sempre virando-me e observando

o tempo anterior.

Agora, mesmo, tenho pressa de saber.

Até quando?...

A pintura, a fotografia... Hobbies.

Tanto prazer!...

Reiniciei, devagar, a fotografia...

Sei.

Ainda é cedo.

E porque até o silêncio não basta.

É preciso estar em auto-atenção.

É preciso quietude interior.

E bradar aos quatro ventos?...

Não justifica, nada resolve.

Tento.

Sei...

Ainda é cedo.

Entretanto, outro Outono se aproxima.

Maduro. São lindos seus tons. 

Setembro é início e fim.

Apesar de tudo,

gosto.

 

 

 *composição

**pinturas baseadas em coisas minhas e não só, e eu :)

Diapositivo1.JPG

 

 

19
Ago18

A praia, o sol e seus efeitos e a fotografia

Mariali

 Porque não tenho acesso às ferramentas necessárias, porque é um dia a não esquecer, editei este post de há 3 anos e repito a publicação... 

 

"É raro acontecer... Quando nada nem ninguém nos impede de marcar presença para assistir aos efeitos espectaculares do pôr do sol. 

Sozinha em casa, jantei e corri, tudo em modo bem acelerado. Sabia que o espectáculo não esperava por ninguém. Pareceu-me que cruzei com gente que caminhava, que namorava, que esperava mesa para jantar, que esperava também o pôr do sol, gente que talvez me conhecia. Pareceu-me...

O meu objectivo era outro e ficou cumprido. Fotografar, na praia, o pôr do sol e o depois do sol se pôr.

Viva o sol! Viva a fotografia!"

DSCN4763

DSCN4791

DSCN4654

DSCN4549

DSCN4553 

13
Ago18

Férias, viagens, trambolhões...

Mariali

A viagem agendada para o final de Julho até aos primeiros 6 dias de Agosto, já, em si, provocou uma adrenalina própria que o viajante sempre experimenta. Desta vez, visitámos S. Petersburgo e Moscovo. 

Fiquei  deslumbrada?...

Direi, até, apaixonada pelas estas duas maravilhosas cidades. Não fui a única, o que me apercebi, várias pessoas do grupo confessaram estar a sentir o mesmo...

Numa das mensagens que enviei para meus familiares, disse:- Converti-me.

 

Ora, cá por casa, já estão a tentar opinar e fazer, à rebelia, tudo para que eu me esqueça da minha última paixão. Sou teimosa e sei que vai ser difícil esquecer.

E eu gosto de gostar assim, rápido, à primeira vista. Os ruídos ou interferências, esses, vou tentar ignorá-los.

Só sei que adorei!!!

 

Quanto aos trambolhões?...

É... Em uma saída de praia, em direção ao bar, dei uma chinelada na borda do estrado de madeira, cambaleei um percurso de 10 metros, adquiri alta velocidade, e só parei quando cabeceei um tubo de ferro bem fixo, fazendo um estrondo que entoou toda a praia e arredores... :) Caí, imobilizada. Rodearam-me, alguém já ligava para o INEM e só ouvia:- sente-se nesta cadeira.

Eu, mesma, tive de dar ordens para que aquela gente se acalmasse. Pedi gelo e que me deixassem estar um pouco em repouso... 

Infelizmente, para eles, não houve mais espectáculo. Tudo bem.

 

Mas foram 5 dias, precisamente os dias antes da viagem, de observação e cuidado.

Pronto. Agora que ninguém se atreva a dizer que estou a sofrer de efeitos secundários... :) ;)

 

Sem mais pormenores, algumas fotos das mil e pico... Difícil a escolha.

 

DSC00917.JPG

DSC00929.JPG

DSC00934.JPG

DSC00965.JPG

DSC01117.JPG

DSC01122.JPG

DSC01162.JPG

DSC01376.JPG

DSC01492.JPG

DSC01500.JPG

 

DSC01439.JPG

DSC01464.JPG

DSC01793.JPG

DSC01832.JPG

DSC01840.JPG

DSC01891.JPG

DSC01904.JPG

DSC01914.JPG

DSC01968.JPG

DSC01973.JPG

DSC02043.JPG

 

 

 

 

 

20
Jul18

Olhares

Mariali

Cada um de nós vê o mundo com os olhos que tem, e os olhos veem o que querem,

os olhos fazem a diversidade do mundo e fabricam as maravilhas, ainda que sejam de pedra,

e altas proas, ainda que sejam de  ilusão.

                                                                              José Saramago

 

37386430_1765773283508315_4206876275513491456_n.jp

 *foto de smartphone

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D