Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

TUDO AVULSO

Acontece-me... Por inspiração... transpiração... ou porque me apetece...

TUDO AVULSO

Acontece-me... Por inspiração... transpiração... ou porque me apetece...

26
Dez12

Leituras...

Mariali

O livro A Profecia Celestina, foi um presente de Natal do ano passado. Li-o este ano de 2012. Escolho o livro como o meu preferido deste ano 2012. O título levava-me a sugerir opiniões que, mais tarde, verifiquei serem  incorrectas, injustas... 

Na contracapa deste livro tem a seguinte citação:

"Quando alguém se cruza no nosso caminho, traz sempre uma mensagem para nós. Encontros fortuitos são coisa que não existe. Mas o modo como respondemos a esses encontros determina se estamos à altura de recebermos a mensagem."

Baseado num manuscrito do séc. V ou VI, A. C., o protagonista principal do livro inicia uma longa viagem em busca de uma série de 9 revelações espirituais, que serão encontradas, a muito custo, nas ruínas e montanhas do Peru...

Não podia deixar de partilhar o nome do livro que mais me cativou... Toda a leitura é um viver de emoção, um despertar de curiosidade, suspense, sabedoria espiritual,...

E, deste modo, participo no desafio do Sapo Blogs {#emotions_dlg.smile}

*Perdi os óculos, se encontrarem algum erro... {#emotions_dlg.smile}

 

 

18
Dez12

O tempo de natal

Mariali

 Há muito tempo, já há algumas "dezenas" de anos, o tempo de Natal era também o tempo dos codornos. Em Cabeceiras de Basto, chama-se codorno a uma pêra de inverno de casca e polpa duras, que pode comer-se cozido, assado ou em compota. Pensava eu que o codorneiro teria de crescer à beira rio. Pois, em criança, um dos rituais que aconteciam nesta época do ano, era a caminhada para apanhar este fruto. Por carreiros de terra batida e húmida, seguíamos cuidadosamente a margem da levada, até que avistávamos o codorneiro lá ao fundo, perto do moinho, junto ao rio. Descíamos o terreno acidentado e enlameado, às escorregadelas e aos gritinhos, desafiando o som ensurdecedor da água do rio deslizando contra os penedos quase submersos. E, deste modo, entre irmãos, vivenciávamos mais uma aventura!

A semana passada avistei esta árvore na aldeia, em Fafe, discreta, entre outras árvores numa margem do campo, e carregadinha de frutos... 

Lá, dizem que é uma pereira carregada de peras de inverno. Eu digo que é um codorneiro... 

 

 

 

 

 

 

18
Dez12

Receita

Mariali

Codornos bêbedos

-8 codornos

-250 gr açúcar

-5 dl vinho tinto

-3 dl água

-1 pau de canela

-1 casca de limão

Descascam-se os codornos inteiros.

Num tacho, deita-se a água, o açúcar, o vinho e coloca-se ao lume até levantar fervura.

De seguida, junta-se a casca de limão e o pau de canela.

Introduzem-se os codornos e deixam-se cozer em lume brando até ficarem macios.

Retiram-se com cuidado para uma taça.

Mantém-se a calda ao lume, deixando ferver até apresentar um aspecto de xarope.

Retira-se do lume e despeja-se sobre os codornos.

Servem-se frios.

Uma sobremesa diferente e deliciosa para esta época de Natal, à moda de Cabeceiras...

Eu já fiz e ficaram deliciosos!

 

05
Dez12

Palácio Vila Flor

Mariali

O que fará com que as pessoas se juntem mais num determinado espaço do que noutro? Há locais da cidade que estão sempre a abarrotar! Outros, servem de passagem, e há os que simplesmente estão quase sem ninguém.

Há tempos, numa sexta-feira à tarde, desloquei-me ao Palácio Vila-Flor, Centro Cultural, para tomar um cafezinho e para esticar mais um pouco as pernas. Caminhei pelos jardins deste palácio, admirei o magnífico edifício, fotografei...

Apenas vi dois pares de namorados que desfrutavam da relva de um dos jardins. Mais adiante, as cameleiras ou japoneiras bem ordenadas e bem antigas enchiam o nosso olhar... Tudo muito calmo e relaxante.  

Sinto o dever e a obrigação de perguntar:_ Para quando um cafezinho, num dia de sol quentinho, lá, com direito a registo fotográfico?!...{#emotions_dlg.smile}

 

  

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D