Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

TUDO AVULSO

Acontece-me... Por inspiração... transpiração... ou porque me apetece...

TUDO AVULSO

Acontece-me... Por inspiração... transpiração... ou porque me apetece...

24
Mai13

Aniversário

Mariali

Foi um dia em cheio. Já bastava festejar o meu aniversário. Este dia deixa-me sempre um pouco desconcertada. Por um lado, apetece-me comemorar com todos os familiares e amigos, por outro, sei que é quase impossível. E, nesta indecisão, acabo por seguir o caminho mais fácil, mais barato e mais egoista. Não quero ninguém. E, deste modo, festejo apenas com os que resolvem surpreender-me...

Este ano estive das 14h às 17.30h no tribunal. Eu e a minha filha mais nova comparecemos perante um grupo de batinas/togas negras e os dois assaltantes, para relatar o que se passou há quase 3 anos.  Entramos separadamente. Anteriormente, não fizemos qualquer combinação sobre o que iríamos dizer. E cada uma expôs tudo o que ainda se recordava. Depois, fomos interrogadas pelo juiz e pelo advogado de defesa dos assaltantes. Parece que não deixamos dúvidas quanto ao sucedido. A sentença será lida dia 6 de Junho.

Agora, os assaltantes "renovaram" a nossa imagem. Várias pessoas acharam-nos de "fibra". Ter coragem de dar a cara perante dois assaltantes, prostitutos e um deles drogado.

Sei que houve queixas que foram retiradas. Sei que a prisão, caso haja, não adianta de nada. Sei que o mais jovem é toxicodependente, precisa é de quem o ajude. Sei que não devemos cruzar os braços. Sei que não penso no que poderá acontecer...

 

22
Mai13

Abraço

Mariali

Há palavras que nos custam pronunciar mais do que outras. Penso que deve ser devido ao tal currículo oculto que cada um possui. Enviar beijinhos ou enviar abraços? Dar e receber beijinhos ou abraços? Gestos mais ou menos usuais que cada um semeia e colhe no dia a dia.

Os abraços mais deliciosos são dados por crianças! São espontâneos, quase sempre, apertados, carinhosos, puros...

Há excepções. Quase há um mês, fui abraçada por um adulto. Todo o gesto senti-o como estivesse a ser abraçada por uma criança. Mas vi lágrimas e risos por entre palavras de disfarce. Que não tenha sido o último. Espero mais...

 

17
Mai13

Amores de inverno

Mariali

Apesar de muita chuva, este inverno não foi tão frio como muitos pensam. Para comprovar o que digo, algumas fotos dos amores amarelos e multicoloridos que aguentaram com firmeza e beleza a dita estação. Apenas curvados pela insistência da chuva...

 

 

16
Mai13

Mais uma pintura

Mariali

A obra mais recente. Baseei-me numa pintura publicada no site de notícias sobre arte e cultura- Textile Design and Designers Plataform.

Três horas passavam sem que me apercebesse, dia após dia, parecendo que pouco tinha feito. Mas adorei pintar esta tela, desde o início até ao final: o envelhecimento das portas e varandas, os cortinados, as florzinhas...

A  foto está pouco nítida e não favorece a pintura... {#emotions_dlg.smile}

06
Mai13

Daninha ou não

Mariali

Gosto de fotografar plantas espontâneas. Tenho alguma dificuldade porque saem desfocadas, vá lá saber porquê... :) Esta planta cresce pelos campos ao "desbarato". É chamada de erva daninha, porque nasce em espaços onde o homem fez suas sementeiras ou plantações e não quer que ela interfira na sua agricultura...

Nesta época, está a amadurecer para espalhar as sementes ao sabor do vento.

É linda!

05
Mai13

Cessaram as palavras

Mariali

As palavras já foram rio e mar

e corriam cristalinas, revoltas

ensurdecedoras e agitadas 

acariciando-nos na sua passagem... 

Já foram montanhas majestosas 

rodopiando de cume em cume

frescas, arejadas, envolvendo as encostas

e caindo de cansaço a seus pés...

Já foram vales, as palavras.

Suaves, aquecidas, verdejantes

floridas, polinizando ao redor

e inebriando os sentidos...

Já foram céus, as palavras.

Cintilantes de esperança

azuis, desenhadas de estrelas

e sonhando-te para sempre.

Agora, dissolveram-se nas correntezas.

Atordoaram-se de cansaço

deslizando pelas encostas.

Nos vales, endurecidas, vestiram-se

de branco salitre...

E pálidas, lá nos distantes céus

perderam-se de vista.

Como placebo, iludindo o estado natural

o tempo e o caminhar, vejo-as

sem validade, as palavras...

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D