Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

TUDO AVULSO

Acontece-me... Por inspiração... transpiração... ou porque me apetece...

TUDO AVULSO

Acontece-me... Por inspiração... transpiração... ou porque me apetece...

27
Set18

Hoje e amanhã, tanto a acontecer

Mariali

A preparar o coração para hoje. 

Atarantado, sim,

por não ordenar prioridades.

Há os que vivem e os que já morreram.

Há os doentes.

Há o 1º. aniversário da morte... 

De mansinho,

logo, tudo ganhou ordem,

porque surge mais uma partida.

A minha comadre.

Madrinha da minha filha mais velha.

e eu madrinha de sua filha.

Minha parceira de risadas, passeios, profissão.

Amizade.

 

Agora, é tua a prioridade. 

Visitarei os doentes,

meditarei pelo 1º. aniversário 

mas acompanhar-te-ei até onde me for possível.

Hoje e amanhã,

tanto a acontecer.

Ganhar, perder, celebrar, visitar.

Vencer.

 

 

 

 

03
Jan18

Quando eu crescer...

Mariali

Diz que foi abençoada pelo ano 2017. Porque foi realizado um dos seus sonhos. Conhecer um pedacinho da cultura da Índia. Nunca pensou que acontecesse, assim, de repente.

Pormenores nem eu sei, nem poderia aqui descrever, uma vez que estou a falar de outrém. Sei que fez três escalas à ida e quatro, à vinda. Também sei que foram baratíssimas, as viagens. E, como fazia refeições a 1 euro, pode permanecer por lá durante um mês...

Quase me viu estremecer. Quer dizer, estremeci sim, mas interiormente, quando escutei: - Fui abençoada pelo ano 2017.

Perspetivas de vida, é o que é. Eu, por aqui, a lamentar, a chorar pelos que "partiram" este ano. A reviver de memórias...

E ela, em outra dimensão, com outra atitude, e a sentir-se abençoada...

A maturidade das pessoas nada tem a ver com a idade.

Quando crescer quero ser como a minha filha.

 

24129673_1511733945578918_3807035816152837513_n-2.

 

 

29
Dez17

Previsões? Não, obrigada.

Mariali

Somos uma família em grande número, e, apesar de um ou outro pensar que não somos grande família, a verdade é que somos uma família de mil e uma memórias e de mil e uma histórias.

E somos de afectos. Uns, vivem-nos à superfície e todos os veem; outros, resguardam-se, mas, os mais atentos, sentem-nos fervilhar; e, ainda, há aqueles que, basta um pequeno aceno, transbordam de boas palavras e bons actos.

Somos irmãos. E daí ramificam sobrinhos, netos, primos.

Os mais novos, principalmente, precisam da magia de Natal. Por isso, todo o esforço é necessário para viver esta época natalícia.

O ano passado, escrevi um texto cheio de estratégias para o ano em que estamos: "Estratégias à minha maneira", disse eu. 

Meu Deus! Apesar de ser cuidadosa nos meus desejos, porque já não sou de acreditar em planos a longo prazo, agora, lendo-o, sinto-me ridícula!

Adivinhavam-se e avistavam-se sinais de que algo poderia acontecer... Mas nunca imaginei que seria assim. Tentar comandar a nossa vida: fazendo votos, desejando o que bem lhe apetece no momento, é tudo blá... blá...

Então, no próximo ano, vamos lá ter forças para aceitar o que é natural, não?...

Para morrer não há idade. Quando estamos preocupados com os mais velhos, poderemos receber "um golpe baixo", que nos "sopapa", deixando-nos de rastos.

Convém estar em alerta permanente. Viver cada momento gratificante do nosso dia a dia, ficarmos agradecidos e seremos felizes. 

 

24
Nov17

Ao Céu, à Terra, ou às Estrelas?

Mariali

Todos os dias, quantas pessoas partem silenciosamente e anonimamente?...

Apenas ficamos chocados e tristes quando os amamos. Porque são nossos familiares. Amigos. Conhecidos ou figuras públicas.

Ontem, foi a vez do actor e encenador João Ricardo. Se bem me lembro, ao vivo, vi-o uma só vez. No teatro de S. João, Porto, a representar, entre outros actores, a peça "Ensaio sobre a cegueira", baseado no livro de José Saramago. Bela e comovente interpretação e reflexão.

Hoje, Pedro Rolo Duarte. A sua escrita simples e translúcida enchia-me de vontades. Vontade de ler, vontade de escrever, vontade de intervir, vontade de ser melhor...

Talvez, Saramago repetisse, mas usando o plural.. "Mas não subiram para as estrelas, se à terra pertenciam".

Eu desejo que nos iluminem, pertençam eles ao céu, à terra ou às estrelas.

IMG_20170423_111106.jpg

 

 

25
Out17

Se dormires comigo até ser grande, dou-te umas meias

Mariali

Há dias da semana que nunca mais serão os mesmos. Por exemplo: as terças e as quartas.

Quatro semanas já passaram. Quatro terças e quatro quartas-feiras... Ainda me parece impossível.

Nessa terça-feira, estive toda a tarde no hospital a fazer-lhe companhia. Não arranjava posição e custava-lhe mexer as pernas. Apenas os braços gesticulavam. Estavam longos e suas mãos eram lindas. Deitou-se de lado, tocou minhas mãos, e assim estivemos uns momentos. Beijei-as e acariciei-as. Sorria para ele, fazia de conta que tudo iria ficar bem. Todos os ossos bem visíveis sobressaíam, em relevo, só a camada de pele os cobria, os olhos fundos, mas bonitos e meigos... Pediu lenços de papel e água, com lucidez e bem desenrascado, como sempre fora. Depois, a enfermeira aproximou-se, era jovem, séria e antipática, injectou-o e foi-se, e ele não mais foi o mesmo. Olhar distante, vazio, parecia nem saber que ali estávamos.

Eu não sabia que aqueles momentos de troca de carinho, seriam os últimos. 

No dia seguinte, preparava-me para ir ao hospital, de manhã, mas a notícia chegou. Morreu.

Culpei a enfermeira, os médicos. E eu não estive lá, para o ajudar a molhar os lábios, dar-lhe os lenços, mudar-lhe a posição das pernas... Mataram-no, era só o que conseguia dizer.

Há muito tempo, quando eu saí de casa para estudar no 1º. ciclo, ele teria uns 3 anos. Durante quase uma semana, não conseguia dormir e chorava, pois, estava habituado a ser o meu companheiro de quarto. Quando acalmou e aceitou aquela mudança, dizia a meus pais e irmãos que, se eu dormisse com ele até ser grande, me daria umas meias.

Foi difícil ver meu pai partir. Foi difícil ver minha mãe partir. Agora, um dos meus irmãos, dos mais novos, o que cuidou de minha mãe, devido à doença de alzheimer, até ao último momento, está ser a fase mais difícil da minha vida. Eu sei que tudo acaba, mas por favor, fazei-me mais capaz, mais preparada para enfrentar estes momentos.

 

02
Out17

O Outono também anuncia

Mariali

E foi aquele entardecer, junto ao mar, que me alertou da proximidade do Outono. Observando o horizonte e, a passos largos,  em oração, senti os que partiram. Melhor, visualizei-os... Que saudade, que vontade de os ter do lado de cá, comigo, a assistirem ao espectáculo. Belo! O mar silencioso e de brilho prateado, a doçura nos tons das nuvens, a lua...

Algum dia teriam assistido? Talvez, sim... Os nasceres e pores do sol, no campo, também são mágicos.

Apeteceu-me deixar o mar, e correr para o interior, pegar em meu irmão,( nove anos mais novo que eu), e, antes que fosse tarde, pela última vez, proporcionar-lhe tal visão, como a que eu tive. Como me apetecia... Seria uma das suas vontades? Fiquei sem saber.

Prometo, ainda neste Outono e, depois, em todas as outras estações, sempre, quando voltar ao mar, vou reparar no horizonte, e ver se o encontro. Entre o pai e a mãe, lá, fazendo parte do belo, acima da linha do mar, na doçura dos tons das nuvens, e a lua... Depois do sol posto.

Até lá, saudades.

22089973_1463350893750557_5416620495837942210_n.jp

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D