Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

TUDO AVULSO

Acontece-me... Por inspiração... transpiração... ou porque me apetece...

TUDO AVULSO

Acontece-me... Por inspiração... transpiração... ou porque me apetece...

08
Abr17

O Principezinho

MariaLi

Elas (as pessoas grandes) adoram os números. Quando a gente lhes fala de um novo amigo, as pessoas grandes jamais se interessam em saber como ele é... (...) Mas perguntam, qual é a sua idade? Quantos irmãos tem? Quanto pesa? Quanto ganha seu pai? Somente assim elas julgam conhecê-lo.

Diversas vezes precisei de ajuda para refletir, neste ou naquele momento, sobre valores que falam tão alto... Não poderia  esquecer esta obra (intemporal) e alguns dos seus excertos. O excerto acima relembro-o a cada dia.

Na era das estatísticas, das audiências, dos números, segundo isto e segundo aquilo, muitas das vezes, verificamos que o mais importante é o consumo, é a quantidade, é o número, enfim... O ter sobre o ser.

Que triste realidade. 

 

19
Mar17

Dias são datas

MariaLi

Algum tempo havia passado sem que visitasse o pequeno lugar para onde transferira algumas das suas memórias e, assim, compusera o tal recanto como que de uma emergência se tratasse.

Era véspera do dia dezanove, quer dizer: do dia do pai e do 2.º mês do falecimento de sua mãe.

No pequeno terreiro, rodeado de recantos ajardinados, há restolho espalhado por todos os lados. Atravessou-o em passos largos até um dos lados do retângulo da eira, onde fica a porta de entrada, e poisou os sacos das compras. Porque, afinal, era já hora de fazer o almoço. Depois, dirigiu o olhar para onde havia jardim e caminhou em direção ao muro sobranceiro ao tanque. Aí, imobilizou-se. Seu olhar ficou toldado. As lágrimas teimaram, e quase todo o dia por lá ficaram. As japoneiras, afinal, estavam muito coloridas: brancas, vemelhas, rosas... E ela que pensara que este ano não floririam, as japoneiras. A sua mãe. As japoneiras de casa de seus pais. Seu pai e sua mãe. Agora juntos para sempre. Para sempre.

Debruçou-se sobre elas e, minuciosamente, observou-as.  As camélias brancas, tão lindas, bem formadas, pequeninas. Quase que lhes pediu desculpa por não acreditar nelas. As cor de rosa sobrecarregavam a árvore, parecendo-lhe que pediam ajuda para as aliviar. As vermelhas, de tamanho médio, compostas de múltiplas pétalas, também estavam harmoniosamente formadas e distribuídas. Acariciou-as ao de leve. Cortou botões e flores. Limpou-lhe as folhas e esgaravatou a terra junto à raiz.

Que pena! Não há registos fotográficos. Mas tudo se gravou em automático. Com sons e cheiros. Lágrimas. Saudades.

E foi deste modo, o espírito dividido entre o passado e o presente, a esperança e a inquietude, confuso, que vagueou o maior tempo.

Promete não haver descontrolo e libertar-se destes domínios mentais  ou conflitos interiores que a ocupam em demasia. E também deseja que todos os descendentes de seus pais tardam a sua partida para o encontro final.

 

08
Mai16

Entre amigos

MariaLi

Um programa entre amigos foi o que aconteceu. Rumo ao Alentejo com hospedagem em Vila Viçosa. Dias quentes, noites bem fresquinhas e aromatizadas pelas imensas flores de laranjeira, pois, é esta a árvore que embeleza e preenche as ruas desta vila.

Reguengos, Monsaraz, Aldeia da Luz, Alqueva, Borba, Estremoz, Évora... Alguns dos locais por onde almoçámos, jantámos, e, principalmente andámos à descoberta.

Quase nada de compras. Um chapéu, um cinto, um biquini, meias... Coisas necessárias para todo o grupo. Visitas de conhecimento e reconhecimento. História, património, paisagens... Principalmente paisagem natural. Fotografias atrás de fotografias. Conversas animadas, risos e sorrisos, olhares de encantamento.

O Alentejo está verde e florido. Parece o Minho, diziam os minhotos. Parece Trás- os- Montes, diziam os transmontanos. Mas a vista a 360º, sem uma montanha a esbarrar-nos o olhar, a terra e o céu a unirem-se e a confundirem-nos os sentidos, acontece a cada passo de qualquer ser que ainda se deslumbre com estas coisas tão maravilhosas e que nos são "irreais" no nosso dia a dia.

Alguns registos:

   

DSCN0179-0 

 

22
Jun13

O que fazemos...

MariaLi

Tudo o que fazemos reflecte uma parte de nós. Podemos querer disfarçar, iludir, mas há atitudes que nos vão definindo.

Penso que todos nós procuramos saber quem somos, qual o nosso eu verdadeiro. A nossa consciência das coisas e de nós, desapegadas do ego que, constantemente, toma e ocupa a nossa mente e que nos convence que é assim que somos. Até nos faz sentir envaidecidos... 

Quem ainda não se sentiu doente por tanta incapacidade, tanto egoísmo, por nada fazer?...- Eu já, e muitas vezes!

Neste tempo, não basta dizer ou alertar. É necessário "tomar decisões",  fazer, remediar, reconstruir...

Temos de mudar nossas mentalidades.

Aconselho a clicar neste link e ver o vídeo até ao fim.

http://www.ted.com/talks/sebastiao_salgado_the_silent_drama_of_photography.html

06
Mai10

A viagem e os passageiros...

MariaLi

Fiquei muito, muito cansada!

De sábado para domingo não dormimos, fizemos uma directa, pois o avião saiu de Israel à 1,30H, chegámos a Bruxelas por volta das 5H e esperámos 7H pelo avião para o Porto... Que dirão as pessoas que rondavam os 80 anos?!... Se calhar é uma questão de paciência...

Conheci gente interessante que fazia parte do nosso grupo. Um casal, médico e enfermeira, ainda em funções, ele com 78 anos e  ela com 72. Simpáticos, viajados, cheios de estórias de fronteiras e aeroportos, de filhos e netos.

Também conheci gente pouco interessante, um diz que disse, que de tudo duvidava, e de todos falava...

De tudo ouvi, apenas tentei escutar os sons e silêncios dos que transmitiam boas energias, saberes  e estórias de vida. "A vida não tem sido só rosas", mas dito com um sorriso e um olhar terno. E já o avião se preparava para aterrar. Mais uma vez os dois deram as mãos, entrelaçaram os dedos e ele sorrindo: "é para dar sorte".

Depois escrevo "mesmo" sobre a viagem...

Beijinhos

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub